O jejum intermitente e o seu poder (?) numa vida mais saudável – Artigo de Opinião –

O jejum intermitente e o seu poder (?) numa vida mais saudável – Artigo de Opinião –

Tem sido um “hot topic” da nutrição no último ano e praticamente todos os dia alguém me pergunta: “Então e o que acha sobre o Jejum Intermitente?” e depois vem o discurso do costume “Tenho uma vizinha que pratica o jejum intermitente e já perdeu imenso peso, sente-se com imensa energia, para além que existe uma renovação das células – faz incrivelmente bem à saúde!”.

E eu enquanto pessoa e nutricionista (e até me considero com mente aberta nas várias estratégias nutricionais e alimentares que aplico), penso… “como é que as pessoas conseguem ficar 12 horas ou 16 horas ou 24 horas ou até mesmo 48 horas (!!!!) sem comer e não se sentirem esganadas de fome?!; como é que após este período conseguem comer apenas um Bife de Frango com Salada? Como é possível?” Mas sim, é possível, pois estes novos padrões alimentares movimentam-se e ganham força através da adesão a 1000% dos seus pacientes. E ao contrário de um plano alimentar tradicional, composto por refeições a cada 3 horas, o cumprimento do plano alimentar é feito na íntegra, pois quem defende este padrão alimentar acredita piamente nos seus benefícios e não quer falhar ou dar braço a torcer… E aqui entra o grande aliado na perda de peso: o Balanço Energético! E se eu consumir menos calorias do que aquelas que necessito, obviamente vou perder peso, mas isto tanto acontece no jejum intermitente como num dia alimentar composto por 5-6 refeições diárias. Agora menos óbvio, é o tipo de tecido que será consumido! Em termos fisiológicos, será consumida massa gorda (referente ao balanço energético negativo), mas passar muitas horas sem comer, vai obrigar o nosso corpo a consumir o glicogénio existente na nossa massa muscular (o que é uma desvantagem tremenda).

Sendo assim quais as vantagens e as desvantagens do jejum intermitente (observado através da prática clínica e opinião pessoal):

 VantagensDesvantagens
  •  Maior adesão ao plano alimentar
  •  Perda de peso rápida e eficaz
  • Maior autoestima e autoconfiança
  •  Padrão alimentar muito restritivo
  • Pouco social
  • Perda de massa muscular
  • Pode originar compulsão alimentar

E o estudo “Effects of Time-Restricted Eating on Weight Loss and Other Metabolic Parameters in Women and Men With Overweight and Obesity”, veio comprovar alguns destes fundamentos:

Método: Durante 12 semanas, 105 adultos voluntários entre os 18 e os 64 anos foram divididos em dois grupos:

– Um dos grupos praticou o jejum intermitente, com 16 horas de jejum e 8 horas com permissão para comer (entre as 12:00 e as 20:00).

– E o outro grupo tinha direito a três refeições estruturadas por dia, com a permissão de lanches.

Nota: De notar que os participantes não aderiram a nenhuma dieta restritiva, não houve restrição de calorias, macronutrientes específicos (hidratos de carbono, gorduras ou proteínas) nem de determinados tipos de alimentos.

Resultados e Conclusão:

– “Segundo esta investigação, o jejum intermitente não promove perda de peso significativa.

– No fim das 12 semanas, os investigadores verificaram que o grupo que praticou o jejum intermitente perdeu um pouco mais de peso (1,17% de perda) que o grupo de controle (0,75%). Porém, a diferença não foi suficiente para ser estatisticamente significativa e não houve mudança significativa na massa de gordura corporal total em nenhum dos grupos.

– Quanto a outros indicadores de saúde, como os níveis de colesterol e açúcar no sangue, também não foram encontradas diferenças significativas entre os dois grupos.

– Um dos fatores notados foi no que concerne à perda de massa magra. Aqueles que perderam em média 1,7 kg, 1,1 kg dos quais (aproximadamente 65% do peso perdido) foi de massa magra e apenas 0,51 kg de gordura.

– Os investigadores concluem que não há evidências de que o jejum intermitente funcione, mas aconselham a realização de mais estudos que esclareçam como o jejum afeta a massa muscular e também os seus efeitos em pessoas idosas e com doenças crônicas como o diabetes”.

 No entanto, a nutrição é uma ciência em constante mudança e se este padrão alimentar resultar consigo, então é uma boa estratégia a aplicar, porque foi PERSONALIZADA a si! Personalizada aos seus hábitos alimentares e deverá sempre ser vigiada por um profissional de nutrição habilitado que lhe mostrará as verdadeiras vantagens e desvantagens cientificamente comprovadas por estudos credíveis! Tudo o que não seja realizado sobre estes moldes, pode ser prejudicial à sua saúde! Por isso cuidado com o que lê na internet e com quem se aconselha!

Referências Bibliográficas:

https://www.viversaudavel.pt/estudo-jejum-intermitente-nao-promove-perda-de-peso-significativa/

https://www.publico.pt/2020/07/04/impar/noticia/verdade-oculta-tras-jejum-intermitente-1922930

 

Muito Obrigada pela vossa atenção,

Mantenham-se seguros e saudáveis!

Adriana Sales, Nutricionista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *