A Soja

A Soja

Original da China, de onde faz parte da dieta alimentar há mais de 3 mil anos, pertence à família botânica das leguminosas — como o grão de bico, a lentilha, o feijão, e a ervilha — e é conhecida pelo nome comum de soja, mas também como feijão-soja ou feijão-chinês. A partir do século VII começou a ser conhecida no resto do mundo: primeiro no Japão, um dos países que atualmente mais consome esta leguminosa; depois na Europa, no século XVII e no século seguinte nos Estados Unidos.

VANTAGENS:

Um ponto vantajoso da soja é sem dúvida o seu valor nutricional. Com um teor considerável de proteína (32,8g por 100g) e de gorduras poliinsaturadas, como ómega-6 e baixo teor em Hidratos de Carbono, a soja, é muito apreciada pela comunidade vegetariana e pode ser uma ajuda implacável na perda de peso. Para além disso, em termos de micronutrientes, o grão de soja é rico em: carotenos, niacina, ácido fólico, sódio, potássio, cálcio, fósforo, magnésio, ferro e zinco. Para além disto, possui a capacidade de reproduzir algumas hormonas femininas como o estrogénio, o que ajuda a estabilizar a parte hormonal, especialmente na fase da menopausa, diminuindo os sintomas da mesma e até mesmo na tão problemática TPM (tensão pré-menstrual).

DESVANTAGENS:

No entanto, é um alimento controverso, que deve ser consumido com precaução e evitado por pessoas com situações específicas, com o prejuízo de lhes causar danos à sua saúde. Com inúmeras aplicações na indústria alimentar, tais como bebidas de soja, iogurtes de soja, farinha de soja, óleo de soja, tofu ou molho de soja, a soja para além de ser utilizada como um aditivo alimentar (principalmente a farinha de soja), devido ao seu baixo custo, também é largamente produzida pelo mundo, através do processo de OGM (Organismo Geneticamente Modificado) ou Transgénico. Este processo faz com que o cultivo seja mais resistente a pragas, mas as substâncias colocadas neste processo, podem ser potencialmente perigosas para a nossa saúde. Para além deste tipo de alimentos ser altamente alergénico, acredita-se que poderá causar resistência a medicamentos e em termos ambientais as culturas transgénicas podem acabar com inúmeras espécies vivas, o que também poderá causar um desequilíbrio no ecossistema. Em termos de saúde do indivíduo, mais estudos necessitam de ser feitos, no entanto, e por precaução, enquanto não existirem mais informações, deverá consumir-se a soja com precaução e de preferência, na sua foma biológica. Outra nota negativa vai para a forma como consumimos a soja hoje em dia: através de alimentos processados como a bebida de soja, soja granulada, molho, iogurtes, que para além de serem produtos imensamente processados, também podem possuir imenso teor de açúcar como é o caso das bebidas de soja. Outra desvantagem é que a ingestão elevada de alimentos à base de soja ou isoflavonas de soja, pode estar relacionada com o desenvolvimento sexual precoce, infertilidade e maior incidência de cancro de mama nas raparigas, ou seja quando consumida em excesso vai potenciar um desequilíbrio hormonal, pelo que em indivíduos com cancro da mama, a ingestão de soja é completamente desaconselhada.

Como em tudo, o equilíbrio é sempre a palavra-chave, e uma comunidade com literacia alimentar aumentada, é uma comunidade que fará escolhas mais saudáveis, acertadas e conscientes!

 

 

Muito Obrigada pela vossa atenção,

Mantenham-se seguros e saudáveis!

Adriana Sales, Nutricionista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *